tamanho da letra : imprimir

Mondo Fashion

Stella McCartney

Depois de um início de carreira em que foi privilegiada e também criticada por conta do sobrenome famoso, a estilista saiu da sombra do pai ex-Beatle e se firmou como um dos nomes mais respeitados da moda britânica.
Sofia Prudente Concepção Andrea Tavares

Enviar por email

Compartilhar

Realeza do rock

colocar ao lado do texto acima (Realeza do Rock)

Stella Nina McCartney nasceu em 13 de setembro de 1971, em Londres. Segunda filha do ex-Beatle Sir Paul McCartney e da fotógrafa norte-americana Linda McCartney, foi batizada com o mesmo nome das duas bisavós maternas. Passou a infância acompanhando o pai em turnês pelo mundo, ao lado da mãe e dos três irmãos – Heather, Mary e James.

Apesar da fama, Paul e Linda procuraram manter seus filhos em uma rotina a mais “normal” possível, matriculando-os em colégios estaduais na região de East Sussex. Stella demonstrou interesse pela moda ainda adolescente e costurou sua primeira peça – uma jaqueta – aos 13 anos. Três anos depois, em 1986, foi assistente do francês Christian Lacroix, no início da carreira do estilista, e, em seguida, estagiou com o alfaiate do pai, Edward Sexton, na Saville Row, rua no bairro londrino de Mayfair, a mais célebre mundialmente pelos ateliês de alfaiataria sob medida.

2011: com o pai no casamento da amiga, a top britânica Kate Moss

 

1974, a família McCartney na primeira fila do circo: Stella, Paul, James, Linda, Mary e Heather

Influência e estilo próprio

Em 1995, Stella formou-se em design de moda na conceituada universidade londrina Central Saint Martins. Desde seu trabalho de conclusão de curso, demonstrava um estilo consistente ao qual sua assinatura é atribuída até hoje – natural, feminino, sexy e, ao mesmo tempo, elegante, dotado de leveza, confiança e alfaiataria precisa.

Mas não foi somente seu talento que chamou a atenção logo no desfile de formatura. A trilha sonora especialmente gravada pelo pai, intitulada Stella May Day, e a presença de amigas para lá de conhecidas na passarela – como Naomi Campbell, Yasmin Le Bon e Kate Moss – colaboraram para que o desfile estampasse a primeira página dos jornais na manhã seguinte. A coleção foi comprada imediatamente pela Tokio, uma boutique londrina, e logo as criações de Stella já povoavam as araras de lojas conceituadas como Browns, Joseph, Bergdorf Goodman e Neiman Marcus.

 

1995: na formatura com Naomi Campbell

Sucesso em Paris

Em 1997, Stella McCartney foi nomeada diretora criativa da grife Chloé, em Paris, cargo até então ocupado pelo alemão Karl Lagerfeld, que criticou duramente a decisão da casa, alegando que a Chloé deveria ter escolhido um grande nome da moda e não da música para substituí-lo.

Apesar do ceticismo de Lagerfeld, as coleções de Stella McCartney para a Chloé foram bem-sucedidas comercialmente e agradaram em cheio à imprensa especializada – após o desfile de estreia, em outubro de 1997, a revista Vogue decretou que o talento da estilista estava mais do que comprovado, com ou sem sobrenome famoso. Stella levou Phoebe Philo, sua assistente, para integrar sua equipe em Paris, e mais tarde a própria Phoebe assumiu a criação da grife, que comandou até 2006.

 

Marca própria

Em 2001, Stella McCartney aceitou a proposta do grupo Gucci (que integra o conglomerado francês de moda, luxo e varejo PPR) para lançar sua marca própria, com gestão de 50% das operações. Foi a primeira estilista do sexo feminino a integrar o grupo, que detém marcas como Alexander McQueen, Balenciaga, Bottega Veneta, Yves Saint Laurent e a própria Gucci. Em outubro do mesmo ano, apresentou a sua primeira coleção na semana de moda de Paris.

Seguindo os passos da mãe, que ficou bastante conhecida pelo ativismo em favor dos animais, Stella é vegetariana convicta e se recusa a utilizar couro ou pele em suas criações.

 

Linhas assinadas

Além da marca própria, Stella McCartney mantém uma parceria com a Adidas desde 2004, para a qual assina linhas de roupas e acessórios para modalidades como ioga, corrida, tênis, natação, golfe, ciclismo e outros esportes. A parceria tem sido uma das mais longas e rentáveis da carreira de Stella e levou a estilista a desenvolver os uniformes das equipes patrocinadas pela marca das três listras nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Stella McCartney também soma outras parcerias bem-sucedidas em anos recentes – em 2005, para a rede sueca de fast fashion H&M, que esgotou nas prateleiras em tempo recorde. Em 2009, antes de apostar em uma coleção infantil própria, assinou uma linha exclusiva para a marca norte-americana Gap. Em 2011, a febre das colaborações fashion de Stella McCartney chegou ao Brasil e também vendeu rapidamente – cerca de 40 lojas brasileiras da rede C&A receberam uma coleção de roupas criada pela criadora, que, inclusive, esteve em São Paulo para o seu lançamento.

 

Momento olímpico: a coleção desenvolvida por Stella McCartney para a equipe britânica

 

Fast fashion: Stella McCartney para a C&A

 

A grife hoje

Com sede em Haywards Heath, no sul da Inglaterra, a marca de Stella McCartney mantém atualmente 18 lojas próprias em bairros descolados de Londres, Nova York, Los Angeles, Paris, Milão e Tóquio e está presente em 600 lojas de departamentos e multimarcas ao redor do mundo, em mais de 50 países, inclusive o Brasil.

Suas coleções incluem moda feminina, acessórios, lingerie, perfumes, cosméticos orgânicos e óculos, além de uma linha infantil. A marca permanece sob gestão do conglomerado PPR, que fechou 2011 com aumento de 11,1% nas vendas, totalizando mais de € 12 milhões.

 

Inglaterra: interior de loja em Brompton Cross

 

Itália: interior da loja em Milão

 

Stella McCartney Kids

Feminilidade no olhar

Stella McCartney tem sua coleção de óculos desde 2003, quando assinou com a Safilo, e mantém parceria com a Luxottica desde 2009 – no Brasil, a grife é distribuída pela OptiClass. O romantismo e a leveza de suas criações tomam forma nos óculos, que abusam de cores femininas e inspiração retrô, como o clássico gatinho, mas com uma aura de modernidade.

 

 

 

modelo SM 04031 2054 13

 

Ícones

Peças de alfaiataria para mulheres

Uso de matérias-primas ecológicas e tecidos orgânicos

Sensualidade e elegância

Estampas delicadas, como flores e borboletas

 

Pronúncia

“STÉ-la ma-CÁR-tni”. O único cuidado com “Stella” é manter o “s” mudo, evitando abrasileirar o nome, colocando um “e” na frente, transformando-o em “ES-tela”. Quanto ao “McCartney”, vale lembrar que o “-ney” do final se transforma em “-ni” quando pronunciado.

 

www: Stella McCartney virtual

www.stellamccartney.com

www.facebook.com/stellamccartney

www.twitter.com/StellaMcCartney

www.youtube.com/user/stellamccartney1

Instagram: @stella_mccartney

 

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições