tamanho da letra : imprimir

Coluna do Miguel

Conjuntivite, uma das pragas de verão

Miguel
o óptico mais famoso do país

No verão, a história se repete. Milhões de pessoas aproveitam as férias para aproveitar a praia ou frequentar piscinas públicas. E o resultado é sempre o mesmo: adultos e crianças acabam vítimas de conjuntivite. A falta de água limpa para lavar as mãos é a principal causa da disseminação da conjuntivite nos meses de calor. Tudo começa com uma coceira intensa nos olhos, evoluindo para vermelhidão nos olhos e secreção matinal.

A conjuntivite nada mais é do que a inflamação da membrana que cobre o globo ocular e o interior das pálpebras. Por isso, recomenda-se que, durante o verão, crianças e adultos usem óculos de natação ou mergulho na praia ou na piscina para evitar o contato com os microrganismos indesejáveis.

Até que desapareça totalmente, as pessoas devem lavar as mãos com sabão várias vezes, não coçar os olhos para evitar o aumento da irritação, aplicar compressas de gaze com água filtrada fria ou soro fisiológico, ingerir alimentos ricos em vitamina C e não fazer esforço físico. Oftalmologistas alertam para não usar colírios sem indicação médica, porque podem provocar alergia.

Em casa, recomenda-se trocar as toalhas de rosto, banho e fronhas diariamente e, no caso de crianças, afastá-las por uma semana da escola ou do convívio com os amigos, eliminando a possibilidade de contaminação. Na maioria dos casos, a infecção cede em dez dias. Após esse período, se houver febre, dores oculares, secreção ou sensibilidade à luz, é recomendável consultar um oftalmologista para um diagnóstico mais apurado.

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições