tamanho da letra : imprimir

Coluna do Miguel

A armação que é pura enganação

Miguel
o óptico mais famoso do país

Em março, a marca japonesa de moda Shiho Shiroma levou às passarelas da semana de moda de Tóquio um modelo estilo Wayfarer repaginado. O título da notícia em um dos sites provocou curiosidade, mas a “novidade” nada mais era que uma armação comum, com cara de anos 1950, aplicada com fios pretos e vermelhos, completamente desconexos. Pode-se dizer que os fios serviam apenas para enganar quem esperava por uma megasurpresa.

Isso é mais que uma jogada de marketing. É uma atitude apelativa, pura falta de respeito ao público, que sai de casa, enfrenta trânsito e depara com uma bobagem, criada por um suposto gênio sem lâmpada maravilhosa.

Divulgação de novos produtos é importante? Sim, é fundamental! Mas enganação sempre é desprezível. Há outras formas profissionais de chamar atenção para um trabalho honesto e dedicado. Produtos que não servem a ninguém, que só podem ser usados como ilustração em páginas de revistas, sites ou jornais, abusam do bom senso e da paciência do público. O segmento de armações não precisa de “inventores”, mas de profissionais corretos que pensam no cliente como único objeto do seu trabalho.

 

 

© Divulgação

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições