tamanho da letra : imprimir

Jogo Rápido

Novas perdas para o setor

Enviar por email

Compartilhar

Nilo da Rocha Ferreira

O empresário começou sua carreira profissional como jogador de futebol profissional em Maringá, interior do Paraná. Foi bicampeão paranaense em 1962 e 1963 jogando pelo Grêmio Esportivo de Maringá.

Largou o futebol para trabalhar em banco e depois se dedicou às vendas. Em uma empresa de máquinas registradoras, começou como vendedor e então passou a gerente. Foi aí que iniciou sua carreira na óptica, mais precisamente na American Optical, como vendedor. De espírito empreendedor, em 1975, saiu da American Optical e associou-se a um colega de trabalho para abrir a Embrapol Sul, em Curitiba. Hoje, 38 anos depois, a Embrapol Sul, que, no decorrer dos anos, tornou-se EPS, está entre os maiores ópticos do país – em 2010, passou a integrar o grupo de laboratórios brasileiros que a Essilor mantém participação societária no Brasil.

“Meu pai sempre foi reto e direto, nunca fez curva. Era um justo e dinâmico. Deixou esse legado para mim e para o meu irmão, Nilo Junior (diretor comercial), de que devemos ser responsáveis e arcar com as nossas decisões. Nada cai do céu, ele dizia”, relata a filha Cláudia Ferreira, que trabalhou por mais de duas décadas ao lado do pai na EPS e hoje é diretora financeira e administrativa da EPS.

Nilo morreu 10 de maio, em decorrência de hepatite C, e deixa a viúva Maria Aparecida e os filhos Cláudia e Nilo Junior.

© Divulgação

Silvio Escorcio

Cria profissional do óptico e colunista da VIEW, Miguel Giannini, Silvinho (como era carinhosamente conhecido por todos) começou aos 14 anos como office boy na óptica de Giannini, com quem se desenvolveu profissionalmente e trabalhou por cerca de duas décadas, aprendendo os princípios da consultoria estética.

Lá pelos idos de 1997, abriu, em sociedade com o colega de trabalho Piero Savino, a Piero & Silvinho Consultoria Óptica, loja na Alameda Tietê, na nobre região dos Jardins, em São Paulo. O sucesso ao longo dos anos rendeu uma expansão da loja, com a anexação do imóvel ao lado.

“Trabalhei com o Silvinho desde que ele e Piero abriram a óptica. Ele gostava de lidar diretamente com os clientes e queria que toda a equipe atendesse da melhor maneira possível. Foi um privilégio trabalhar com ele. Outros pontos que marcavam muito o Silvio eram a elegância, a classe, a educação, a sutileza ao lidar com as pessoas e o sorriso muito forte. Quando as pessoas ficam sabendo da morte dele, sempre falam o quanto era amável, sorridente e alegre. Essa é a imagem que ele deixou”, comenta o óptico André Guijarro, gerente da Piero & Silvinho, que trabalhou por 16 anos ao lado do empresário. Silvinho morreu em 15 de maio, aos 48 anos, de pneumonia.

© Divulgação

#REVISTAVIEW

Óculos e praia: o clique escolhido para estrear a seção Instagram da VIEW vem da ilha grega de Poros, mais precisamente da praia de Askeli, publicada pelo designer gráfico @mrjohnsarlis

O número 2,5 bilhões é o total estimado da população mundial sem acesso à correção visual

Fonte: Organização das Nações Unidas e Essilor em www.visionimpactinstitute.org

Tem perfil no Instagram e tirou uma foto linda e/ou criativa que tem tudo a ver com óculos, visão, óptica ou algo mais relacionado ao mercado? Publique com a hashtag #revistaview e então sua imagem pode ser publicada na VIEW.

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições