tamanho da letra : imprimir

Jogo Rápido

Unilab perde um de seus sócios

Enviar por email

Compartilhar

Morreu dia 4 de maio, em Fortaleza, o empresário e um dos sócios do laboratório Unilab Soluções Ópticas, Maurício Costa. Nascido em 28 de setembro de 1938 em Palmeira dos Índios, interior de Alagoas, Mario Maurício Morais Costa iniciou sua carreira no mercado óptico em 1972, como gerente regional das regiões norte e nordeste na indústria de lentes oftálmicas American Optical. Em 1994, fundou a Polynews, fábrica de lentes de cristal. Com a evolução do mercado e o avanço na produção de lentes de resina, a empresa não conseguiu acompanhar as mudanças do setor e teve suas atividades encerradas em 2002.

Costa, porém, manteve-se no mercado. Em 1998, fundou o Ceprolab, laboratório especializado na manufatura, montagem e distribuição de lentes oftálmicas com atuação no norte e no nordeste do país. Em menos de dez anos de existência, já havia se tornado um dos maiores daquela região.

Por três anos consecutivos, o Ceprolab foi indicado para o prêmio Lab of the year, concedido anualmente pela Transitions, e, em 2009, conquistou o prêmio, que foi entregue no ano seguinte durante a Transitions Academy, o evento anual da empresa de lentes fotossensíveis realizado anualmente em Orlando, Estados Unidos. “Após muita dedicação e trabalho sério, ser reconhecido como melhor laboratório no Brasil foi uma das maiores alegrias da história profissional do Mauricio. Com esse prêmio ele se revigorou e iniciou vários projetos futuros com objetivo de crescimento e melhorias contínuas da empresa”, afirmou Davi Veras Holanda, um dos sócios de Costa na Ceprolab e depois na Unilab, do qual é sócio-diretor atualmente.

União de amigos – O Unilab Soluções Ópticas nasceu em 2006 e foi criado a partir da união de amigos, como diz Holanda. Além dele e de Costa do Ceprolab, juntaram-se ao time Paulo Sérgio e Marcello Moraes, sócios do Tec Lab, e Luiz Fornagero, sócio do laboratório RX. Todas as empresas têm sede em Fortaleza, capital cearense. Após um ano de existência, o Unilab uniu-se à multinacional francesa Essilor, que hoje possui 51% de participação no grupo brasileiro. A união dos três laboratórios – antigos concorrentes – e dos cinco empresários no Unilab teve sua força reconhecida com o Lab of the year, entregue na Transitions Academy deste ano.

Sobre a morte de Costa, Davi Veras Holanda fala em tom saudoso e emocionado do companheiro, ressaltando o valor da amizade sincera entre os dois. “Hoje queria poder voltar no tempo para aproveitar cada momento da nossa amizade, conversar sem reservas, independentemente da hora e do dia e estar junto para curtir cada segundo”. Para Holanda, a saudade será uma “estrada longa”. “Porém, ela será diminuída por saber que em todas as manhãs, bem de manhã, vou sair com um objetivo bem claro na minha mente: seguir todos os seus ensinamentos e ter sempre a mesma força de vontade que ele demonstrava diariamente”, completa.
Maurício Costa era casado há 47 anos com Cecília Costa e tinha quatro filhos – José Carlos, Mônica, Ana Paula e Leonardo.

 

E nasce o Unilab: a gente resgatou do arquivo da VIEW a foto de Maurício Costa (à esquerda), Luiz Fornagero e Paulo Sérgio Moraes durante a Fenóptica, a feira de Fortaleza, quando anunciaram o lançamento do novo laboratório, em 2006. Uma “união de amigos”, como diria o próprio Costa 

© Andrea Tavares

Grace Kelly em São Paulo
Modelo, estrela de Hollywood, ícone de moda e princesa de Mônaco. Grace Kelly viveu o que pode ser chamado “conto de fadas moderno”. Uma trajetória rápida, mas que se tornou um marco na história das famílias reais. Para homenageá-la, a Fundação Álvares Penteado (FAAP) trouxe para São Paulo a exposição Os anos Grace Kelly, princesa de Mônaco. Com curadoria do atual ministro de cultura da França, Frédéric Mitterrand, a mostra reúne cerca de 900 objetos como filmes, vestidos, joias, fotografias e cartas de amigos como o cineasta Alfred Hitchcock, a ex-primeira dama norte-americana Jacqueline Kennedy e o cantor Frank Sinatra. 

A exposição é dividida em 14 salas, cada uma dedicada a um período da vida de Grace, como a infância na Filadélfia, o início da carreira como modelo, o sucesso em Hollywood e a chegada ao trono. Todos os objetos expostos são originais, à exceção do vestido de noiva que voltou a ser notícia pela semelhança com o modelo escolhido pela inglesa Kate Middleton para casar-se com príncipe William em 29 de abril. Segundo a organização da mostra, o original – feito em 1956 pela amiga de Grace e estilista do estúdio Metro Goldwyn Mayer (MGM), Helen Rose -, não está em perfeito estado de conservação.

Enquanto Jaqueline Kennedy ocupava o posto de ícone de moda norte-americano, Grace Kelly fazia o mesmo em toda a Europa, elevando o principado de Mônaco de mero paraíso fiscal a destino de férias de milionários e estrelas de cinema. Amiga dos estilistas Christian Dior e Yves Saint Laurent, inspirou inúmeras criações, como a famosa bolsa Kelly da maison Hermès, que se tornou objeto de desejo após a princesa usá-la para esconder uma suposta gravidez.

Exposição Os anos Grace Kelly, princesa de Mônaco
Museu de Arte Brasileira da Faap
Rua Alagoas 903, Higienópolis
Terça a sexta, das 10h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h
Até 10 de julho. Gratuita

Grace Kelly: exposição digna de princesa em São Paulo

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições