tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A óptica no mundo

Enviar por email

Compartilhar

Essilor anuncia a compra total da Transitions

Chega ao fim a joint venture estabelecida em 1990 entre a norte-americana PPG e a corporação francesa que gerou a criação da Transitions e o lançamento de lentes fotossensíveis de resina no mercado mundial. A Essilor comprou os 51% que pertenciam à PPG.

Em 29 de julho, o mercado óptico mundial foi informado oficialmente de que a Transitions deixará de ser fruto da joint venture (do inglês, algo como “empreendimento conjunto” e expressão do mundo dos negócios que denota a associação de empresas para a realização de um novo empreendimento comercial) entre Essilor e PPG. Por meio desse anúncio, a corporação francesa adquirirá os 51% que pertenciam à norte-americana PPG, desde que ambas se uniram para criar a empresa de lentes adaptáveis, em 1990, com 49% de ações para a Essilor e 51% para a PPG.

O valor da negociação ficou em US$ 1,73 bilhão, pago imediatamente, além de outros US$ 125 milhões a serem pagos no decorrer dos próximos cinco anos. A transação inclui também a compra do capital total da Intercast, fabricante de lentes solares de alta performance, sediada na cidade italiana de Parma, com receita na casa dos US$ 34 milhões em 2012, que foi adquirida pela PPG há sete anos.

Ano que vem – A negociação tem previsão de ser concluída no primeiro trimestre de 2014, após passar pelos processos regulatórios exigidos pelas autoridades governamentais. Até lá, a Transitions continua sendo gerida e operada separadamente e a equipe de liderança administrará os negócios como de costume, inclusive no Brasil. A PPG permanece como parceira estratégica da Transitions, já que seguirá fornecendo a matéria-prima para a produção das lentes fotossensíveis.

O anúncio não afetará o fornecimento de lentes Transitions no mercado, que continuarão disponíveis por meio de outros fabricantes de lentes. “A Transitions continuará concentrada em fortalecer relações mutuamente benéficas com seus clientes em toda a indústria óptica, alavancando os talentos e a paixão dos funcionários ao fornecer lentes fotossensíveis da mais alta qualidade para os consumidores”, disse o presidente da Transitions, Dave Cole.

A Transitions teve receita de US$ 814 milhões em 2012. A Essilor responde por 62% desse total (US$ 504 milhões) e os demais fabricantes de lentes oftálmicas, 38% (US$ 310 milhões).

Crescimento em potencial – Comentando a aquisição, o presidente e CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) da Essilor, Hubert Sagnieres, afirmou que a transação marca o começo de uma nova fase de crescimento para a Transitions. “A compra está totalmente alinhada com a estratégia da Essilor, que conhece muito bem a Transitions, por isso, o processo de integração será suave. E possibilitará ainda acelerar a expansão da Essilor no segmento de fotossensíveis, que cresce duas vezes mais rápido que o mercado óptico de forma geral. Além da Intercast, que favorecerá positivamente a atuação da Essilor no mercado de lentes solares, segmento de potencial crescimento”, afirmou.

Operação independente – A joint venture entre PPG e Essilor tratou-se de

uma união de talentos para a criação de um novo negócio, o das lentes fotossensíveis de CR-39, cuja categoria até então contemplava apenas lentes de cristal. A PPG – que foi a primeira a desenvolver em 1945 uma matéria-prima de plástico para lentes oftálmicas, o CR-39 – criou a tecnologia de fotossensíveis de resina, mas precisava de um parceiro com expertise (do francês, “especialidade”) no ramo para rentabilizar de fato a nova invenção.

Assim, as duas corporações estabeleceram a joint venture para criar a Transitions, com sede em Pinellas Park, no estado norte-americano da Flórida, e que passou a operar de forma independente no mercado, isto é, fornecendo sua tecnologia de lentes fotossensíveis de resina aos maiores produtores de lentes oftálmicas do mercado óptico mundial.

Adlens

Expansão rumo à China

A marca inglesa líder no segmento de óculos de foco variável abriu uma filial na China. Com sede em Xangai, será comandada pela diretora da região Ásia-Pacífico, Florence Chang, executiva com mais de dez anos de experiência em planejamento estratégico e desenvolvimento de novos negócios, além de profundo conhecimento da região.

Valeant Pharmaceuticals

Compra da Bausch + Lomb

A Valeant Pharmaceuticals divulgou a conclusão da compra da norte-americana Bausch + Lomb, anunciada no final de maio, por US$ 8,7 bilhões. Com sede em Laval, na província canadense de Quebec, a Valeant desenvolve, produz e comercializa uma extensa linha de medicamentos principalmente nas áreas de dermatologia, neurologia e genéricos. Com o fechamento da transação, a companhia de investimentos Warburg Pincus, que lidera um grupo de investidores que é dono da Bausch + Lomb, receberá US$ 4,5 bilhões em dinheiro.

Marchon e Italia Independent

Parceria para Karl Lagerfeld

A Marchon anunciou no final de julho uma original ação criativa para uma das grifes de seu portfólio, a Karl Lagerfeld. Trata-se do lançamento, em outubro, de uma capsule collection (do inglês, “coleção cápsula”, expressão que define uma minicoleção lançada por uma grife entre duas estações ou em parceria com outra marca) com a Italia

Independent, de propriedade do empresário ítalo-americano Lapo Elkann.

A coleção cápsula de Karl Lagerfeld pela Italia Independent terá modelos de receituário e solares femininos e masculinos e será identificada por um logo que retrate a nova parceria.

O acordo prevê que, comercialmente, o mercado italiano caberá à Italia Independent e à Marchon, toda a distribuição internacional.

Nascido em Nova York, Elkann pertence à família Agnelli, dona do império Fiat. Comandou o marketing da companhia automotiva e foi o responsável pela reinvenção do Fiat Punto e do Fiat 500. Em 2007, fundou a Italia Independent, empresa focada em estilo de vida, roupas, óculos, acessórios e colaborações especiais, cujo princípio é criar e fabricar suas linhas de produtos em solo italiano.

AFB e Cea

Comunicação móvel para deficientes visuais

A Fundação norte-americana para a cegueira (em inglês, American foundation for the blind, mais conhecida pela sigla “AFB”), acaba de ganhar um grande apoio para suas ações em prol dos deficientes visuais nos Estados Unidos. Trata-se da Consumer Electronics Foundation (Cea), o braço beneficente da associação homônima do mercado de produtos eletrônicos, que anunciou a concessão de bolsa para um estudo que visa melhorar a acessibilidade da comunicação móvel para pessoas com deficiência visual.

Safilo

Plano de sucessão

A companhia italiana anunciou que terá um novo CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) a partir de 15 de outubro. Ou melhor, uma nova CEO: trata-se da executiva Luisa Delgado, cidadã suíça de 46 anos, com passagens por empresas como SAP e Ikea, além de mais de duas décadas de Procter & Gamble. O então CEO, Roberto Vedovotto, continuará integrando o conselho diretivo com função não executiva.

Resultados financeiros

Luxottica

A corporação italiana registrou vendas líquidas de € 3,882 milhões no primeiro semestre, um crescimento de 5,8%, diante dos € 3,670 milhões obtidos no mesmo período de 2012. Já o lucro líquido ajustado para os primeiros seis meses do ano bateu recorde, alcançando os € 377 milhões, um avanço de 11,7% em relação aos € 338 milhões dos primeiros seis meses do ano passado. Tais valores correspondem ao total das operações da empresa, somando as divisões de atacado e varejo.

Safilo

Nos primeiros seis meses de 2013, a Safilo apontou vendas líquidas de € 598,4 milhões, uma queda de 2,4% comparada ao mesmo período do ano passado, quando bateu os € 613,3 milhões, graças, em partes, ao fortalecimento do euro frente às principais moedas internacionais. O lucro líquido ficou em € 25,6 milhões, uma evolução de 18,9% comparada ao mesmo período de 2012, na época de € 21,5 milhões.

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições