tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A óptica no mundo

Enviar por email

Compartilhar

Essilor

Impactos socioeconômicos da visão ruim

Pode ser bem assustador pensar que o mundo perde dinheiro por conta de problemas de visão, mais precisamente US$ 269 bilhões em perdas por produtividade em todo o planeta. Por conta disso, a corporação francesa lançou o Vision Impact Institute (do inglês, “Instituto de Impactos da Visão)”, organização que pretende estudar as consequências socioeconômicas de deficiências visuais que, em suas várias faces, afetam 4,2 bilhões de pessoas no mundo e, desse total, cerca de 2,5 bilhões sem acesso à correção.

O instituto tem por objetivo “ser uma ligação de conhecimento, dados e soluções, além da produção de pesquisas, encorajando medidas diversas no campo da correção visual”, anunciou a empresa em seu comunicado. Para isso, o site visionimpactinstitute.org já está no ar com a finalidade de conectar estudiosos e enriquecer a oferta de dados sobre o assunto.

A visão não-perfeita é um problema de saúde pública com consequências econômicas tanto em âmbitos pessoal como coletivo. A Organização Mundial de Saúde estima que mesmo em países com bom acesso a exames e correção visual, o prejuízo é grande: US$ 50 bilhões na Europa, US$ 7 bilhões no Japão e US$ 22 bilhões nos Estados Unidos – não há dados exclusivos sobre o Brasil. Mesmo sendo algumas das deficiências mais comuns do mundo, os problemas de visão e seus custos são subestimados nas nações em desenvolvimento e emergentes: 30% dos jovens com menos de 18 anos no mundo já se queixaram de algum problema refrativo. Esse percentual fica em 33% entre os trabalhadores, 37% entre os idosos e 23% entre os motoristas, revelam dados do Banco Mundial.

Para apoiar e guiar os trabalhos da nova entidade, um grupo de especialistas independentes de reputação internacional fará parte do Conselho Consultivo. O veterano executivo da Essilor, o francês Jean-Felix Biosse Duplan, é o presidente do novo instituto.

 

Luxottica

Salmoiraghi & Vigano

A corporação italiana anunciou a conclusão da aquisição da parcela minoritária de 36,3% da rede de varejo italiana Salmoiraghi & Vigano, conforme divulgado na VIEW 127. A transação foi avaliada em € 45 milhões, que serão usados para recuperar os recursos financeiros e fornecer suporte ao crescimento futuro da empresa.

Líder no varejo italiano, a Salmoiraghi & Vigano é de propriedade de ninguém menos que o empresário Dino Tabacchi, um dos filhos do fundador da Safilo, Guglielmo Tabacchi. No ano fiscal concluído em 30 de setembro, as vendas beiraram os € 170 milhões.

 

Vision Council

Tendências de um forte ano

Pelos números do primeiro trimestre, 2013 vai ser um ano de crescimento da macroeconomia. É o que diz o relatório de tendências do Vision Council, a entidade de óptica norte-americana, realizado em parceria com o Institute for Trends Research (ITR).

Entre os aspectos positivos foram citados a confiança nos negócios, medidos por um índice de compras, que está em 54,2 – acima da media histórica de 52,7. Já o mercado de ações e bolsas está quebrando recordes e os preços estão aumentando, gerando um efeito saudável, que não era sentido desde 2007. A estimativa do ITR é de um crescimento um pouco mais lento em relação ao ritmo de 2012, mas sem desaceleração da economia até 2014.

 

Jobson

Fundação para a educação sobre a visão

A norte-americana Jobson divulgou a criação de uma fundação sem fins lucrativos em memória do publisher e presidente dos periódicos Review of Optometry e Review of Ophthalmology, Rick Bay, que morreu em dezembro. A proposta da The Rick Bay Foundation For Excelence in Eyewear Education é doar bolsas de estudos de optometria e oftalmologia. A bolsa de optometria será no Pennsylvania College of Optometry, na Salus University, e a de oftalmologia, no Wills Eye Institute, no Thomas Jefferson University Hospital, ambos no estado norte-americano da Pensilvânia. Mais informações no site RickBayFoundation.org.

 

Marchon

G-Star Raw no portfólio

A corporação norte-americana divulgou a assinatura de contrato para criação, produção e comercialização da coleção de óculos da marca de jeans holandesa G-Star RAW, conhecida por trabalhar com jeans “cru” (em inglês, “raw” traduz-se como “cru”), isto é, sem muitos tratamentos ou lavagens, além de ter lançado o conceito de jeans 3D. A primeira coleção será apresentada em outubro. A G-Star está presente em mais de 6,5 mil pontos de venda em 68 países.

 

CooperVision

Parceria com forças armadas

Em continuidade com os serviços de apoio à comunidade militar norte-americana, a CooperVision lançou um novo site em parceria com a Armed Forces Optometric Society, organização das forças armadas dos Estados Unidos para optometria. A proposta é oferecer lentes de contato a preços acessíveis a militares e seus familiares, com parte da renda revertida para o Wounded Warrior Project, programa criado em 2003 para zelar pelo bem-estar de soldados feridos em combate. A entrega das lentes é garantida em qualquer lugar do mundo em que os militares estejam baseados.

 

Essilor

Acordo com High Performance Optics

Um contrato de licenciamento foi firmado entre a Essilor e a norte-americana High Performance Optics, que desenvolve tecnologias para proteger a retina humana da luz azul. O acordo se limita a lentes para óculos e permitirá à corporação francesa manter seu foco em um portfólio inteiramente voltado para a correção visual de prevenção de problemas de saúdes visual e ocular. Além disso, as empresas desenvolveram em conjunto lentes oftálmicas que protegem a retina dos perigos da alta energia da luz azul. A parceria tem por objetivo difundir as necessidades dessa proteção, fundamental para diminuir os casos de degeneração macular relacionada à idade. A High Performance Optics pesquisa os efeitos maléficos da luz azul na retina desde o ano 2000 e tem inúmeras patentes no mundo sobre o tema.

 

Mitsui Chemical

Metade da Korean Optical

Com a compra de 51% das ações da KOC Solution, a japonesa Mitsui Chemicals agora passa a ser sócia majoritária da empresa coreana de lentes oftálmicas, cujo maior mercado é a China. A KOC passará a ser subsidiária da Mitsui, com o objetivo de ampliar o portfólio de produtos da compradora com monômeros para lentes de médio e alto índices.

 

PFO Global

Aquisição da Optima

A norte-americana PFO Global anunciou fechamento de acordo para a compra dos ativos da também norte-americana Optima, fabricante de lentes de policarbonato especiais. Segundo o presidente e CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) da PFO, Rudolf Suter, essa aquisição acelerará a estratégia de crescimento e aprimorará a integração vertical da empresa. “A patente para lentes de policarbonato da Optima terá várias possibilidades de uso, inclusive na combinação com o programa de cálculos para as lentes free form da PFO Global, o ProFitCalc”, explicou.

 

Luxottica

CEO para o varejo

A divisão de varejo da Luxottica para a América do Norte tem um novo presidente: trata-se do norte-americano Mark Weikel, nomeado em março. Weikel entrou para a Luxottica em 2010 como gerente geral da Sunglass Hut para a América do Norte, foi presidente e gerente geral da LensCrafters e, antes disso, passou pela loja de departamentos Lord & Taylor e a gigante da lingerie Victoria’s Secret. Atualmente, a equipe de líderes das várias marcas da divisão de varejo da Luxottica para a América do Norte é composta por Srini Kumar (Pearle Vision); Mary Anne Stagby (Sears Optical); Marcello Favagrossa (Target Optical) e Eric Anderson (LensCrafters).

 

Resultados financeiros

Luxottica

Em 2012, a corporação italiana registrou os melhores números de vendas líquidas de sua história: mais de € 7 bilhões, um crescimento de 13,9% em taxas de câmbio variáveis e de 7,5% em taxas constantes comparados ao ano anterior, quando o número ficou na casa dos € 6 bilhões.

Os lucros líquidos foram da ordem de € 567 milhões, 24,4% maior que os € 456 milhões de 2011. O Ebitda (em inglês, sigla para “lucros antes de juros, taxas, depreciação e amortização”) cresceu significativamente, 19,9% a mais, totalizando € 1,36 bilhão.

As vendas no atacado e no varejo contribuíram para os resultados, com a companhia citando bons resultados em todas as regiões em que atua. O CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) Andrea Guerra afirmou que o início de 2013 vem sendo bastante positivo e que o crescimento da companhia é sustentável em longo prazo com as oportunidades de crescimento na indústria e em aquisições. Haverá também um investimento em canais específicos como as megalópoles, as cidades geograficamente estratégicas e no varejo de viagem.

Nos mercados emergentes, os resultados da Luxottica tiveram um crescimento em torno de 26% e há interesse especial nos mercados do Sudeste Asiático, especificamente na Indonésia e na Tailândia. As projeções para este ano são de crescimento na casa dos dois dígitos.

 

Essilor

A corporação francesa atribui o sucesso dos números de 2012 ao momento favorável do mercado e a estratégias bem definidas. Foram € 4,99 bilhões de receita diante dos € 4,19 bilhões do ano anterior, 19,1% a mais. Antes de taxas, os lucros atingiram € 837,5 milhões contra € 697,58 milhões de 2011. As muitas aquisições feitas pela empresa contribuíram para 9,3% desse crescimento.

A inclusão da Shamir Optical no primeiro semestre e o impacto da consolidação da StyleMark adicionaram 4,1%. Parcerias e outras aquisições foram responsáveis por 2,8%. A Nikon-Essilor e a Essilor Korea agora consideradas na totalidade (antes eram apenas considerados 50%) contribuíram 2,4%. O efeito do câmbio contribuiu positivamente em 4,6%, refletindo primariamente uma valorização do dólar em relação ao euro e também aos dólares canadense e australiano, à libra esterlina e ao yuan chinês. Já a desvalorização do real teve impacto negativo.

Levando-se em conta as regiões do mundo, a América do Norte teve um crescimento de 4% (e esse percentual chega a 5% ao se considerar apenas os Estados Unidos); a Europa, 2,6%; a área compreendida por Ásia, Oriente Médio e África, 12,3% e a América Latina, 13%.

 

Safilo

A empresa italiana encerrou 2012 com crescimento e redução do débito líquido. A receita líquida ficou € 1,17 bilhão contra € 1,10 bilhão em 2011, aumento de 6,7%. Já o lucro líquido alcançou os € 25,9 milhões, representando queda de 7% dos € 27,9 milhões de 2011. Os ganhos contribuíram para a redução do débito líquido de € 238,3 milhões para € 215,3 milhões. As vendas do atacado cresceram 6,3%: € 1,09 bilhão (no ano anterior foi de € 1,02 bilhão). Na Europa, as vendas chegaram a € 470 milhões, 57% a mais do que em 2011 (€ 445 milhões). Nos Estados Unidos, esse valor ficou em € 488,7 milhões, aumento de 7,5% sobre os € 454,5 milhões de 2011.

No último ano, a Safilo reorganizou sua atuação industrial por conta da diminuição de produção causada pelo fim da licença com as grifes da casa de moda Armani – isso incluiu redução de jornada de trabalho em suas fábricas italianas. Brasil e México foram peças-chave para o crescimento da empresa, com suporte às principais coleções do portfólio, desde as mais luxuosas até as marcas próprias. E o bom desempenho de Carrera em território nacional fez do Brasil o quarto mercado do mundo para a marca.

 

Transitions

Boa de trabalhar

Pelo quarto ano consecutivo, a empresa de lentes adaptáveis foi escolhida uma das melhores empresas para se trabalhar de acordo com o ranking Gallup Great Workplace Award, que premia as corporações com melhor reputação entre seus funcionários. Os resultados são avaliados a partir de milhares de questionários, analisados e comparados por especialistas até chegar aos 32 vencedores.

Optrafair

Mudanças na feira inglesa

A Optrafair, feira britânica que ocorre bienalmente há mais de 40 anos na cidade de Birminghan, ganhará a partir de 2014 uma versão londrina – ano que vem, será de 11 a 13 de abril no Olympia Central, na região de West Kensington. Com isso, o país passa a ter feira óptica em caráter anual, alternando entre Londres nos anos pares e Birmingham nos ímpares.

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições