tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A óptica no mundo

Enviar por email

Compartilhar

Safilo

Max Mara até 2019

A relação comercial que começou em 1997 continuará, pelo menos, até 2019. Esse é o contrato recém-renovado entre a Safilo e a companhia da família Maramotti, que detém as marcas Max Mara e Max&Co, para o desenvolvimento, a fabricação e a distribuição das coleções de óculos de ambas as grifes.

© Divulgação

 

Essilor

Adquirir para expandir

Antes que 2012 acabasse, a Essilor International anunciou aquisições estratégias que aumentaram ainda mais sua participação no mercado norte-americano. Para começar, o laboratório Carskadden Optical, empresa com 66 anos de existência sediada em Zanesville, estado de Ohio, e receita anual estimada de US$ 1,7 milhão. A transação se deu por meio de um dos laboratórios da rede Essilor, o Select Optical, de Columbus, também em Ohio.

E a expansão da corporação francesa não se limita aos Estados Unidos. A empresa tornou-se acionista majoritária da marroquina Movisia, distribuidora exclusiva no país das lentes oftálmicas Nikon e Kodak, que tem movimento anual de € 1 milhão e sede em Casablanca.

Ainda no continente africano, a Essilor também comprou a maioria das ações do Evolution Optical, laboratório exclusivo das lentes BBGR para a África do Sul, com receita de € 1,2 milhão que é o resultado da fusão entre os laboratórios Uniti Optical e Progress Optical, baseados, respectivamente, na Cidade do Cabo e em Johanesburgo.

Girando o globo em direção à Ásia, mais precisamente no Sri Lanka, a Essilor adquiriu o controle do laboratório Global Vision, com movimento avaliado em € 1 milhão. E, para fechar a lista de aquisições da temporada, a corporação anunciou a compra do Opak, na Turquia.

 

Marcolin e Cristallo

Negociação concluída

A Marcolin divulgou em 5 de dezembro a conclusão da aquisição de 78,601% de suas ações pela Cristallo S.p.A., empresa controlada indiretamente por meio de fundos gerenciados pelo fundo de investimentos europeu Pai Partners. O preço pago foi de € 4,25 por ação. A transação havia sido anunciada em 15 de outubro e foi publicada na VIEW 125.

Além disso, também ficou decidido o novo conselho de diretores, que será composto por Giovanni Zoppas (como CEO e chefe do conselho), Antonio Abete, Cirillo Coffen Marcolin, Maurizio Boscarato Roberto Ferraresi, Violaine Grison, Vittorio Levi, Emilio Macellari, Stefano Salvatori, Frédéric Stevenin, Frank Teman, Vito Varvaro e Raffaele Roberto Vitale.

A Cristallo não quer parar por aí. Concluída a transação, lançará uma oferta pública de compra para adquirir o restante das ações da Marcolin, podendo assim retirá-la do mercado de ações.

A empresa, que teve faturamento de € 224,1 milhões em 2011, anunciou também a renovação dos contratos com a casa de moda Cavalli para criação, produção e distribuição das coleções de óculos das grifes Roberto Cavalli e Just Cavalli até 2020 e com a marca norte-americana Kenneth Cole até 2016.

 

Oakley

“iOakley” para neve

A norte-americana Oakley, que desde 2007 pertence à Luxottica, focou a prática de esportes na neve para lançar o Oakley Airwave, a nova investida de sua divisão de eletrônicos. Trata-se de uma máscara (ou “goggle”, o termo em inglês) com uma variedade de possibilidades tecnológicas como GPS, bluetooth, conexão com smartphones etc. Por exemplo, ao esquiar, o usuário consegue checar a sua velocidade. Ao fazer uma pausa, pode conferir a análise de sua performance, guiar-se pelo GPS e localizar seus companheiros que também sejam usuários do Oakley Airware ou tenham o aplicativo do dispositivo no telefone.

Tudo isso é controlado no pulso, com um aparelho em forma de relógio por meio do qual também pode mudar a música em execução ao descer uma montanha congelada. Por conta da conexão com o smartphone, também é possível ver quando mensagem ou ligação é recebida. A tecnologia foi desenvolvida em parceria com a Recon Instruments, empresa canadense líder no desenvolvimento de displays eletrônicos capazes de projetar informações na linha dos olhos de seus usuários.

O produto tem valor de US$ 599 e já está à venda no site da Apple e em algumas lojas da marca nos Estados Unidos, na Europa e no Japão. O CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) da Oakley, Colin Baden, argumentou que a escolha da Apple para comercialização do Oakley Airware foi feita levando-se em conta o treinamento que os funcionários da empresa de tecnologia têm para explicar as funções de produtos, além do desejo da Oakley de ressaltar o casamento da tecnologia com aparelhos celulares. O aparelho também está disponível em lojas Oakley e, virtualmente, no sites da própria Oakley, da Sunglass Hut, a rede da Luxottica especializada em óculos solares, e da Recon Instruments.

 

Mondottica

Anna Sui, mais 14 anos

A Mondottica, companhia de atuação global sediada em Hong Kong, anunciou a extensão do acordo de licenciamento para criação, produção e comercialização da coleção de óculos da estilista norte-americana Anna Sui até junho de 2026. O contrato tem caráter mundial, à exceção do Japão. Além da grife-mãe, está previsto o lançamento da coleção da marca de difusão Dolly Girl by Anna Sui.

 

Adlens

Apresentando John Lennon

Imagine all the people…” usando as armações de aros redondos, tão características do ex-Beatle John Lennon com foco variável ajustado pelo próprio usuário. Esse é o resultado do acordo entre a companhia inglesa Adlens e a norte-americana Eagle Eyewear, que detém os direitos de Lennon para óculos, concedidos por meio da Bag One Arts, a empresa da viúva Yoko Ono. Com isso, a empresa britânica lançou em dezembro, nos Estados Unidos, seus óculos (receituário e solares) cujo grau se obtém por meio de um fluido no interior das lentes inspiradas no icônico estilo do ex-Beatle.

 

Luxottica

Investimento no varejo italiano

Curiosamente e de forma indireta, a Luxottica e as raízes da Safilo acabaram se unindo de certa forma. A fabricante de óculos anunciou no final de novembro a aquisição de participação minoritária na rede italiana Salmoiraghi & Vigano, de propriedade de ninguém menos que o empresário Dino Tabacchi, um dos filhos do fundador da Safilo, Guglielmo Tabacchi, e que há muito estava distante dos negócios quando seu irmão Vittorio vendeu a companhia para o fundo holandês Hal, em 2009.

A Luxottica ficará com 36% das ações, transação estimada em € 45 milhões e que tem como objetivo aumentar os recursos dessa que é a empresa líder do varejo óptico italiano. A Salmoiraghi & Vigano tem mais de 150 anos de existência e quase 500 pontos de venda na Itália. No ano fiscal concluído em 30 de setembro, as vendas da empresa beiraram os € 170 milhões.

 

IOFT, a feira japonesa

Resultados da versão 2012

Três dias, 520 expositores e 14.839 visitantes vindos de 20 países diferentes. Esse é o saldo da 25ª edição da IOFT, a feira óptica de Tóquio, realizada no Tokyo Big Sight de 22 a 24 de outubro, promovida pela Associação óptica de Fukui e organizada pelo braço japonês da Reed Exhibitions (a mesma empresa que organiza as feiras ópticas dos Estados Unidos, as Vision Expo – a East, em Nova York, e a West, em Las Vegas).

 

Zyloware

Project Runway Eyewear

A produtora do reality show Project Runway, The Weinstein Company, fechou um acordo de licenciamento com a Zyloware para produzir uma coleção de óculos inspirada no programa apresentado pela top model alemã Heidi Klum, que deve chegar ao mercado norte americano ainda em 2013. Project Runway é exibido no Brasil pelos canais a cabo E! e Liv.

 

Luxottica

Confirmado: Alain Mikli

A corporação italiana dá mais um passo rumo à aquisição da totalidade das ações do universo do designer óptico francês Alain Mikli, que compreende as marcas Alain Mikli, Mikli par Mikli, Philippe Starck, Vuarnet, empresa com vendas líquidas de € 60 milhões em 2011. O anúncio inicial ocorreu em 2 de novembro e, no dia 30 do mesmo mês, a Luxottica divulgou que o acordo de compra havia sido confirmado, após o sinal positivo do conselho de empregados da Mikli para a venda, e também abriu o valor aproximado da negociação, até então oculto: € 90 milhões.

A chegada de Mikli à Luxottica é um reforço de peso no seu portfólio de marcas próprias, já que passará a contar com coleções de luxo e forte apelo, para as quais não precisará desembolsar nenhum euro de royalties (do inglês, termo que define a porcentagem das vendas paga a uma empresa pelo licenciamento de uma marca).

 

Allison e Marcolin

Abertura de showrooms

Mesmo que em continentes diferentes, Allison e Marcolin estão apostando em estratégias similares para seus negócios. No final do ano, as duas corporações italianas inauguraram showrooms para abrir mercado e difundir suas marcas.

A Allison investiu em Barcelona. No topo de um prédio histórico na avenida Paseo de Gracia ficaram exibidas todas as marcas do portfólio da fabricante italiana. O local fica a poucos passos da Pedrera, uma das mais famosas casas assinadas pelo mestre da arquitetura Antoni Gaudí.

Já a Marcolin escolheu Hong Kong. De acordo com o CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo), Giovanni Zoppas, o novo espaço oferecerá a possibilidade de estar mais próximo do consumidor asiático, a fim de desenvolver produtos levando em consideração a sua morfologia facial e o seu perfil de consumo.

Marcolin: agora em Hong Kong

 

Allison

Replay na casa

A Allison assinou um acordo de licenciamento com a Asolo, o que faz dela a distribuidora mundial das coleções de óculos das marcas do grupo italiano Replay: Replay, Replay & Sons, We Are Replay e Red Seal por pelo menos cinco anos.

A primeira coleção tem previsão de lançamento para a feira italiana Mido, em março. Anteriormente, a licença era da Marcolin, que cuidou da Replay Eyewear de 1997 a 2012.

 

Oakley

Término com Lance Armstrong

Seguindo o caminho de empresas como Budweiser e Trek, a Oakley decidiu cortar suas relações comerciais com o ciclista norte-americano Lance Armstrong, que teve sete de seus títulos do Tour da França (de 1999 a 2005) anulados em função da comprovação de doping. O atleta foi julgado culpado pela União Ciclística Internacional e banido definitivamente das competições.

Apesar de cortar laços com o atleta, a Oakley continuará apoiando a Livestrong, fundação de luta contra o câncer criada pelo atleta. A marca tem uma série de produtos batizada com o nome da fundação do texano e uma porcentagem das vendas é revertida para a entidade.

 

Luxottica

Prada renovada

A corporação italiana de óptica anunciou a renovação até 2018 o contrato com o Gruppo Prada para criação, produção e comercialização das coleções de óculos da Prada em si e de sua grife de difusão, a Miu Miu.

© Divulgação

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições