tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A Irlanda Visita o Brasil

Enviar por email

Compartilhar

Em visita ao Brasil para uma missão comercial, o primeiro-ministro da Irlanda, Joe Costello, e alguns empresários do país, foram conhecer, em 8 de outubro, a fábrica da Transitions, situada em Sumaré, interior de São Paulo. A empresa de lentes adaptáveis também tem uma unidade produtiva na Irlanda, mais precisamente na cidade de Tuam.

Da esquerda para a direita, Joe Costello, Colm Ó Floinn, Mario Bottion (Transitions), John Byrne e José Alves (Transitions)

© Divulgação

Pai Partners

Aquisição da Marcolin

O fundo de investimentos europeu Pai Partners fechou acordo para se tornar o acionista majoritário da italiana Marcolin, uma das maiores corporações do universo óptico, com vendas de € 224,1 milhões em 2011. A transação envolve 78,39% da totalidade das ações, adquiridos por meio da Cristallo, empresa controlada indiretamente por meio de fundos gerenciados pela Pai.

Além de Giovanni Marcolin, o fundador da empresa em 1961, seus filhos Cirillo e Maurizio, além dos irmãos Andrea e Diego Della Valle e também Antonio Abete terão 15% da empresa e Maurizio seguirá como diretor de licenciamento e relacionamento com as grifes licenciadas.

A Pai tem outras pretensões: tão logo seja concluída a transação, que aguarda agora a aprovação das autoridades antitruste para ser oficializada, planeja lançar uma oferta pública de compra para adquirir o restante das ações da Marcolin, retirando assim a empresa do mercado de ações.

Luxottica

Alain Mikli made in Italy

Repousa mais uma vez nas mãos da Luxottica o título de transação mais ousada do ano. Depois de vários rumores que circularam pelo mercado internacional, a corporação italiana divulgou em 2 de novembro o acordo de compra da totalidade das ações do universo do designer óptico francês Alain Mikli, que compreende as marcas Alain Mikli, Mikli par Mikli, Philippe Starck, Vuarnet, empresa com vendas líquidas de € 60 milhões em 2011.

Francês de origem armênia, Alain Mikli, cujo sobrenome completo é “Miklitarian”, é o mais bem-sucedido designer na história da óptica contemporânea. Começou seus negócios em 1978 e foi o primeiro a operar dessa forma. Sempre visionário. Sua forma de criar, comunicar, posicionar produtos e comercializar tornou-se modelo para o segmento de design óptico. Amante do acetato, da cor vermelha e um apaixonado declarado pelo seu trabalho, conseguiu conceituar sua primeira linha, a Alain Mikli, com uma identidade tão própria a ponto de suas armações serem facilmente reconhecidas sem que tivessem qualquer assinatura externa – qualquer olho, um pouco treinado em óptica ou apaixonado por óculos, seria capaz de identificar facilmente suas peças.

Em maio de 2009, o designer francês deu início à profissionalização dos negócios, ao vender parte da empresa ao fundo inglês Neo Investiments, transação que também trouxe para a direção das operações um executivo de vasta experiência no mercado óptico, o francês Dominique Alba. Com isso, a nova configuração da empresa passou a ter Mikli e o fundo com 47% das ações cada e Alba com os 6% restantes. Desde então, o designer passou a focar sua atuação na direção criativa das marcas, comandando do desenvolvimento dos produtos e da comunicação.

Ao falar sobre a venda, Alain Mikli disse estar feliz com as oportunidades de distribuição, qualidade e serviço a Luxottica proporcionará: “agora, poderei compartilhar minha paixão com muitos consumidores em todo o mundo”.

Em seu comunicado oficial, a corporação italiana não deu mais detalhes sobre o futuro das marcas de Alain Mikli e tampouco revelou valores da negociação.

Divulgação

 

Essilor e Special Olympics

Parceria olímpica renovada

A corporação francesa anunciou em setembro a renovação do apoio por mais uma década à Special Olympics, organização não governamental que, desde 1968, promove a prática de esportes para portadores de deficiências mentais, auxiliando quase quatro milhões de atletas em mais de 170 países ao organizar competições, oferecer treinamento e assistência médica.

A Essilor já mantém parceria com a Special Olympics desde 2002 na condição de fornecedora global e exclusiva de lentes oftálmicas da organização por meio de seu braço social, a Essilor Vision Foudation (do inglês, algo como “Fundação Essilor para a visão”).

A unidade brasileira da Special Olympics tem necessidade constante de novos voluntários. O e-mail para contato é specialolympics@uol.com.br.

 

The Eye Show

Nova feira em Londres

O mercado óptico mundial está prestes a ganhar mais uma feira de porte internacional. Essa é a meta da empresa organizadora de eventos, a Emergexpo, ao lançar a The Eye Show, cuja primeira edição será realizada de 12 a 14 fevereiro, que ocorrerá paralelamente à semana de moda londrina, a fim de gerar ainda mais sinergia entre a óptica e moda.

Cerca de 125 expositores de vários segmentos já garantiram seu espaço no evento, que será realizado no ExCeL International Exhibition Centre, local de exibições que anteriormente serviu como uma das locações para os Jogos Olímpicos.

Divulgação

 

Hoya

Novo laboratório

A cidade de Clive, no estado norte-americano de Iowa, é a sede do mais novo laboratório da Hoya nos Estados Unidos. Em termos de área, a nova unidade produtiva está um pouco abaixo da média dos demais laboratórios da empresa no país, mas uma ampliação já está prevista para os próximos 12 meses. Essa expansão inclui a instalação capacidade tecnológica para produzir lentes SuperHiVision AR e free form.

 

Luxottica

Metas para 2015

Em mais um evento para investidores, o primeiro realizado na sede italiana da empresa, em Agordo, norte do país – as demais conferências ocorreram, até então, nos Estados Unidos -, o CEO (do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo) da Luxottica, Andrea Guerra, revelou os planos da empresa para os próximos três anos, entre eles, atingir a produção de 100 milhões de óculos em 2015.

Segundo o executivo, o aumento na eficácia logística, que conseguiu cortar consideravelmente seu tempo de produção, é responsável para atingir tal meta. Entre 2009 e 2012, a empresa reduziu em 44% o tempo em que produtos novos chegam ao mercado e em 43% o prazo de reposição das peças já existentes. O desenvolvimento de novos produtos caiu para cinco semanas. A queda no tempo também representou uma diminuição de 12% nos custos de logística.

O Brasil, ao lado da Itália, da China, dos Estados Unidos e da Índia, fazem parte dos planos de médio prazo da empresa, já que o país está na lista dos que receberão um investimento de € 200 milhões nos próximos três anos para aumentar não apenas a produção, mas também as áreas de inovação e tecnologia da informação.

 

Essilor

Aquisição de laboratórios

A Essilor reforçou o seu time de laboratórios nos Estados Unidos em outubro ao anunciar a compra do Balester Optical e do Hirsch Optical, ambos localizados na costa leste norte-americana.

Sediado no estado da Pensilvânia, o Balester foi fundado em 1934 pela família de mesmo nome. Com 75 funcionários, tem produção diária de 830 ordens de serviço, faturamento previsto em US$ 13,3 milhões para 2012 e ocupa a 12a posição no ranking de laboratórios norte-americanos divulgado anualmente pela Vision Monday, publicação da Jobson Publishing.

Já o novaiorquino Hirsch é o maior do estado, detém o 14o lugar no mesmo ranking do Vision Monday e movimenta US$ 8,3 milhões em vendas ao ano, atendendo também os estados de Nova Jersey, Pensilvânia e Connecticut.

 

Marchon

Rumo à Escandinávia

A Marchon revelou seu desejo de ampliar sua presença no mercado nórdico ao anunciar a compra de uma fábrica sueca de óculos, a Scandinavian Eyewear. Com 64 anos de existência, a empresa é líder na região e tem em seu portfólio, além da tradicional Skaga, marcas como Lexington, Pilgrim, Face Stockholm, Oscar Jacobson e parcerias com os designers de moda locais Oscar Magnuson e Efva Attling.

Além de atender os países escandinavos, a Scandinavian também comercializa suas coleções no Canadá, nos Estados Unidos, na Holanda, nos países bálticos, na Polônia, no Reino Unido e na Rússia. A Marchon, por sua vez, contabiliza cerca de 80 mil clientes pelo mundo e está presente em mais de 100 países.

 

L’Amy America

Licenciamento de Ann Taylor

A L’Amy America, braço norte-americano da corporação TWC-L’Amy, uma das maiores companhias de acessórios de moda da França, assinou contrato de licenciamento para criação, distribuição e comercialização de armações de receituário, óculos solares e relógios da marca de moda feminina Ann Taylor, que conta com 277 pontos de venda nos Estados Unidos e está prestes a abrir as suas duas primeiras lojas fora do país, mais precisamente em Toronto, Canadá.

A criação das peças será feita em parceria com a diretora criativa da Ann Taylor, Lisa Axelson. A previsão é que nove modelos solares cheguem às lojas da rede em maio. Já a coleção completa de óculos para venda no varejo óptico deverá ser lançada em março de 2014.

A gigante norte-americana de moda feminina tem sua identidade visual associada ao estilo clássico e personalidades como as atrizes Angelina Jolie e Kate Hudson, além da primeira-dama Michelle Obama, entre suas clientes.

 

Adlens e Mondottica

Parceria para a Europa

A empresa britânica Adlens, especializada em óculos autoajustáveis, criada para atender populações de localidades menos favorecidas economicamente, anunciou a formação de uma joint venture (do inglês, algo como “empreendimento conjunto” e expressão do mundo dos negócios que denota a associação de empresas para a realização de um novo empreendimento comercial) com a Mondottica, companhia de atuação global sediada em Hong Kong para a criação da Adlens Europe.

As empresas fizeram um acordo preliminar que deve ser aprovado no final do ano. O acordo deverá alavancar a marca de óculos autoajustáveis nos mercados europeus. A direção executiva da nova empresa ficará a cargo da Mondottica, reportando-se, porém, a um conselho composto por um número igual de profissionais de ambas corporações.

Criada como uma iniciativa filantrópica, hoje a Adlens comercializa seus produtos, nos quais o usuário pode ajustar o foco das lentes para cada situação. A Adlens Europe comercializará os produtos Hemisphere, Emergensee, bem como todos os produtos a serem laçados no futuro sob as tecnologias de fluido injetado e Alvarez.

 

Essilor

Centro de inovação e tecnologia

O Centro de Inovação e Tecnologia dos Estados Unidos da Essilor está de endereço novo. A área de pesquisa e desenvolvimento da corporação francesa de lentes oftálmicas até então sediada em St. Petesburg, no estado da Flórida, foi transferida para Farmers Branch, no Texas, para um espaço de 4 mil metros quadrados.

De acordo com o presidente e CEO da Essilor of America, John Carrier, mais do que uma mudança, o novo endereço é uma oportunidade para que a companhia – que figura por dois anos seguidos na lista das empresas mais inovadoras da revista de negócios norte-americana Forbes – possa, ao reunir os times de pesquisa e engenharia sob o mesmo teto, “melhor identificar e desenvolver produtos inovadores que satisfaçam e excedam as necessidades dos consumidores”. Além da unidade norte-americana, a Essilor tem dois outros centros de pesquisa e desenvolvimento pelo mundo: um na cidade francesa de Cretéil e outro em Cingapura.

 

Universidade de Michigan

Teste para a terceira idade

Um estudo conduzido pela universidade de Michigan alerta para a necessidade de mais educação para os profissionais da visão nos Estados Unidos. De acordo com a pesquisa, os testes mais usados pelos profissionais de visão para avaliar a capacidade de direção dos pacientes idosos não levam em consideração todos os fatores em jogo ao conduzir um veículo.

Os pesquisadores da universidade de Michigan revelam que 80% dos profissionais realizam sempre ou frequentemente testes de visão periférica e acuidade visual em seus pacientes, mas dificilmente executavam outro tipo de teste ou faziam perguntas mais específicas relacionadas a ações comuns no trânsito – como capacidade de fazer curvas. No entanto, quanto maior o tempo de experiência do profissional e quanto maior a porcentagem de pacientes idosos, maior a probabilidade de o exame ser feito de forma mais completa.

 

Fonte: V-Mail, o informativo virtual do Vision Monday, publicação da Jobson Publishing.

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições