tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A óptica no mundo

Enviar por email

Compartilhar

Silmo

Luto por Guy Charlot

Julho foi um mês de luto para a óptica mundial. Além do greco-austríaco Cari Zalloni, fundador da icônica marca Cazal, que morreu em 3 de julho, o mercado perdeu no dia 25, aos 85 anos, Guy Charlot, presidente do Silmo, o salão francês de óptica.

Charlot dedicou sua vida à óptica. Nascido na região de Champanhe, formou-se em engenharia em 1944. Quatro anos depois, entrou para a companhia Guilbert Routit, em Sezanne, tornando-se diretor com apenas 26 anos. Foi um dos responsáveis pelo grande crescimento da empresa e, em 1974, participou da fusão da Guilbert Rouit com a Benoît Berthiot, outra empresa de óculos e óptica francesa, o que resultou na formação da BBGR (a fusão também se deu no novo nome, com a junção das iniciais das duas empresas), companhia internacional que é a segunda maior da França e a terceira da Europa no ranking das produtoras de lentes progressivas e que atualmente está sob o guarda-chuva da Essilor International.

Depois de uma longa carreira no segmento de lentes oftálmicas e em várias entidades do setor, Charlot foi eleito presidente do Silmo em 1993. Com seu visionarismo, expandiu a feira, encorajou o desenvolvimento de seus participantes e fornecedores, acelerou o reconhecimento internacional do evento e promoveu toda a indústria, tanto a francesa quanto a mundial, principalmente graças ao Silmo D’Or, a premiação que criou e conduziu.

Em 2010, comandou a “mudança de casa” do salão francês, do parque de exposições de Porte de Versailles, na área urbana de Paris, para o centro de exposições Paris-Nord Villepinte, nos arredores da cidade, próximo ao aeroporto Charles de Gaulle. No mesmo ano, Charlot lançou a Silmo Academy, simpósio científico a fim de oferecer aperfeiçoamento aos profissionais do ramo.

No comunicado oficial do Silmo sobre a morte de seu líder, mais palavras sobre Charlot: “como um visionário que tinha o poder de unir as pessoas, Charlot sempre lutou para estreitar os laços entre todos os segmentos da óptica na França. Criou a Maison de l’Optique, extenso fórum de encontros próximo a Gare de Lyon, aberto a todos os profissionais. E antes de sua morte, endossou a LEOO Foundation (Les entreprises de l’optique ophtalmique, do francês, “empresas de óptica oftálmica”), organização com objetivo duplo de ser a federação e o órgão representativo das empresas de óptica oftálmica da França e promover iniciativas para incentivar a qualidade do setor. A LEOO representa sua ambição de vida. E Guy Charlot vai deixar sua marca ainda por muitos anos”.

 

Guy Charlot: o Silmo perde seu presidente

© A.P.Foucha

 

Safilo

Nova liderança

O italiano Massimo Renon é o novo diretor da Safilo para a região que engloba a Europa, o Oriente Médio e a África (“EMEA”, na sigla em inglês), e assumirá o posto em setembro reportando-se diretamente ao CEO da corporação italiana, Roberto Vedovotto.

De acordo com a Safilo, a região que passará a ser comandada por Renon movimenta anualmente cerca de € 460 milhões e é considerada especialmente estratégica para a atuação mundial da empresa.

Renon vem da Ferrari, corporação em que atuou como o principal executivo das áreas de venda e pós-venda, mas, antes disso, trabalhou por uma década na Luxottica – seu último cargo foi diretor para a Europa.

 

Hoya

Expansão da rede

Nos Estados Unidos, a Hoya Vision Care divulgou a aquisição do laboratório New South Optical, no estado da Carolina do Sul, que passou a operar sob o nome Hoya Greenville. Os valores da transação não foram revelados.

 

Viva

Rescigna vai para Guess

A grife californiana Guess anunciou em julho um novo nome para a presidência da área de licenciamentos. Trata-se do executivo Frank Rescigna, que se reportará diretamente a Paul Marciano, co-fundador e CEO [do inglês, “Chief Operating Officer“, sigla que denomina o cargo de diretor executivo].

Até então, Rescigna ocupava a presidência da Viva Group, a corporação licenciada para criar, produzir e comercializar mundialmente as coleções de óculos da Guess. O CEO do HVHC Group, David Holmberg, conglomerado de empresas que inclui a Viva International, nomeou interinamente como presidente da Viva a executiva Sherry Lay, que ocupa o cargo de vice-presidente executiva e diretora de merchandising da Visionworks, uma das redes de óptica da divisão de varejo da HVHC.

A Guess tem em seu portfólio jeans, roupas, acessórios, sapatos, bolsas etc. com atuação em lojas próprias e multimarcas. Até outubro, contabilizava 495 lojas nos Estados Unidos e no Canadá e 232 na Europa, na Ásia e na América Latina, além de 790 pontos de venda licenciados em todo o mundo.

 

Alain Afflelou

Caminho livre para aquisição

De acordo com os termos dos regulamentos de fusões locais, a Comissão Europeia deu sinal verde para a aquisição da rede de ópticas francesa Alain Afflelou pelo fundo de investimentos Lion Capital, com sede no Reino Unido. Embora a Lion não divulgue o preço oferecido, a agência de notícias Reuters afirma que fontes bancárias estimaram a negociação em US$ 397 milhões.

Fundada em 1972, a Alain Afflelou é a maior franqueadora de ópticas da Europa, com cerca de 1,1 mil lojas por toda a França, e em países como Espanha, Portugal, Bélgica, Luxemburgo, Suíça, Marrocos, Líbano e Costa do Marfim. No último ano fiscal, a rede gerou cerca de € 800 milhões em vendas de acordo com o fundo europeu Bridgepoint, seu maior acionista desde 2006.

 

Monocle Order

Óculos solares na máquina

Insira seu cartão de crédito, aperte um botão e receba um par de solares. Também é assim que os moradores do Brooklyn, bairro de Nova York, podem comprar seus óculos a partir de agora.

A loja online especializada em solares The Monocle Order colocou a sua primeira máquina de óculos solares dentro do hotel Williamsburg. A nova engenhoca funciona como as máquinas de guloseimas e refrigerantes. Os preços variam de US$ 50 a US$ 200 e é possível usar cartões de crédito de seis bandeiras diferentes. A proposta nasceu da solicitação de hóspedes que frequentam a piscina do hotel por um local que vendesse óculos solares. A proposta é expandir o negócio em outras áreas de Nova York e também em Miami, Los Angeles e Las Vegas.

A The Monocle Order tem um ano de existência e vende apenas óculos solares de lentes planas. O site é descrito como um clube para amantes de solares – atualmente, são 2 mil membros. Depois de comprar o primeiro par, os próximos saem por 50% do preço até o limite de 12 ao ano. A empresa mantém um showroom em Manhattan para a venda de solares com lentes planas e prescritivas (e também armações de receituário), atendendo apenas com hora marcada.

 

Solares na máquina: um novo jeito de comprar óculos

© Divulgação

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições