tamanho da letra : imprimir

A óptica no mundo

A óptica no mundo

Enviar por email

Compartilhar

Mido

Nova data em 2013

Hora de corrigir a agenda: a principal feira de óptica do mundo, a italiana Mido, terá sua próxima edição de 2 a 4 de março (sábado a segunda-feira) nos pavilhões da Fieramilano Rho-Pero. Isso significa uma antecipação de pouco mais de uma semana na data anterior, marcada e anunciada para 8 a 10 de março (sexta-feira a domingo).

Segundo o presidente da Associação italiana dos fabricantes de produtos ópticos, a Anfao, Cirillo Marcolin, a decisão de trazer o evento para o início do mês e mudar os dias da semana em que é realizada foi baseada no cenário internacional das feiras do setor, no retorno dos negócios e na análise dos resultados da edição deste ano, que teve visitação excelente nos dois primeiros dias e uma considerável queda na terça-feira, o terceiro dia – o total geral de público ficou em 42 mil visitantes (56% estrangeiros e 44% italianos). Por conta disso, a Mido 2013 ocorrerá de sábado a segunda-feira e não mais de domingo a terça-feira.

 

Marcolin

Balenciaga com os italianos

A casa de moda Balenciaga passará a ter suas armações de receituário e óculos solares criados, produzidos e distribuídos pela Marcolin. O contrato tem duração inicial de cinco anos e pode ser renovável por outros dez.

A primeira coleção deve chegar às lojas em 2013 em ópticas, lojas de departamento e lojas conceito da grife fundada em 1937, em Paris, pelo espanhol Cristóbal Balenciaga, conhecido como o “arquiteto da moda”, e que hoje tem o francês Nicolas Ghesquière como diretor criativo.

 

 

Luxottica

A Ray-Ban e o rock

Em maio e junho, a Ray-Ban, marca que integra o portfólio da Luxottica, promoveu, em Milão, a exposição Never hide noise, uma história do rock’n’roll, por meio de 30 imagens de ícones do rock classificadas por décadas, desde os anos 60 até a atualidade, ressaltando a relação da marca com esse gênero musical. O nome da mostra combina o atual slogan da Ray-Ban (“Never hide”, do inglês, algo como “nunca se esconda”) ao barulho (“noise”) tão associado ao rock.

 

Sex Pistols: ícone do rock na exposição da Ray-Ban em Milão

 

Marchon e Transitions

Nike com Transitions

Uma parceria entre a Nike e a empresa de lentes adaptáveis Transitions gerou uma nova série de óculos solares para a marca esportiva, chamada Nike Max Transitions Adaptive Sunglasses. A união dos talentos de cada uma tem por objetivo criar lentes esportivas de alta performance dotadas de conforto para as variações de luminosidade.

Além do escurecimento ou do clareamento de acordo com os níveis de luz, as cores também trazem benefícios para o esporte. Uma delas é a Golf Tint, com lentes de coloração violeta que aumentam a definição de contornos e a percepção dos tons de verde, além de destacar mais a bola, ideal para a prática de golfe.

A outra é a Outdoor Tint, com tonalidade verde que confere um aspecto mais natural à visão e um aumento na percepção de contrastes em especial em ambientes com natureza, ideal para escaladas e trilhas.

São dois modelos com duas cores de lentes cada: Show X2 e SQ, alguns dos mais populares da marca. Além disso, é possível adaptar as lentes para os modelos Skylon Ace, Skylon Ace Pro e Show X2 Pro. No Brasil, a linha estará disponível no final do ano.

 

Nike e Transitions juntas: performance e conforto visual

 

 

Marchon

Compra da Dragon Alliance

No início de maio, a Marchon deixou clara a sua intenção de investir com força no segmento esportivo ao anunciar a compra da norte-americana Dragon Alliance, uma das maiores fabricantes de máscaras e óculos para a prática de esportes radicais, presente, atualmente, em mais de 40 países. A companhia foi fundada em 1993 e desde então investe em inovações nessa área, como o recém-lançado Advanced Projects Infinity, com máscaras sem armação para esportes na neve. A empresa continuará com sede em Carslbad, cidade próxima de San Diego, na Califórnia, e comandada pelo mesmo CEO (do inglês, “Chief Operating Officer”, sigla que denomina o cargo de diretor executivo), Will Howard.

 

Marcolin

Extensão para 55DSL

A Diesel e a Marcolin anunciaram a assinatura de um adendo no contrato de licenciamento firmado entre as duas empresas em outubro de 2010 exclusivamente para a Diesel a fim de incluir o desenvolvimento, a fabricação e a comercialização das armações de receituário e dos óculos solares da 55DSL, marca de difusão da Diesel com características urbanas, gráficas e modernas, cujo nome se origina do ano de nascimento do fundador da marca, o italiano Renzo Rosso, combinado às consoantes de “Diesel”. O lançamento da primeira coleção está previsto para o início de 2013.

 

 

 

Kirk Originals

Loja ganha prêmio

Desde que foi inaugurada, em janeiro de 2011, a loja-conceito da marca inglesa de design óptico Kirk Originals deu o que falar. Várias matérias nos mais renomados sites e revistas de várias partes do mundo (aqui, o assunto foi abordado na VIEW 111, na seção Pelo mundo afora) sobre seu conceito e projeto arquitetônico. E, em abril, foi a vez de ganhar, em Londres, o Optician Awards, a premiação anual do setor óptico local, na categoria “melhor vendedora de moda óptica”.

O designer óptico Jason Kirk lançou a Kirk Originals há 20 anos e, no ano passado, inaugurou sua primeira loja em Mayfair, no número 6 da Conduit Street – uma das ruas de comércio mais sofisticadas de Londres, endereço de marcas como Donna Karan, Moschino, Vivienne Westwood e Yohji Yamamoto.

Com 66 metros quadrados e projeto arquitetônico assinado pelo escritório londrino Campaign Design, a loja propõe uma experiência de compra agradável e focada em moda, mas sem ignorar os cuidados à saúde visual – um dos andares, inclusive, é inteiramente dedicado a testes e exames. A decoração não lembra em nada uma óptica tradicional; tem enormes projeções e divertidas imagens de olhos que “seguem” os clientes pela loja em displays lenticulares (isto é, construídos com inúmeras microlentes que projetam a imagem de forma diferente para cada olho de quem vê, gerando um efeito de terceira dimensão).

Várias outras empresas e profissionais foram premiados naquela noite. Contatólogo: Nick Howard (Icontact); lente de contato: Clariti 1Day Toric (Sauflon); óptico do ano: Martin Varley (Christopher Nixon); educação: The Dry Eye Project, de Nottingham; armação de receituário: Superdry Officer (Inspecs); óptica independente: N and J Robinson Optometrists, de Monkseaton; lente: Optifog (Essilor); óptica múltipla: Specsavers, de Hartelpool; melhor equipe: eyesite opticians, de Beverley; fornecedor: Spectrum Thea Pharmaceuticals; optometrista: Kirit Patel (Radlett Opticians); óptica especializada em lentes premium: Buchanan Optometrists, de Snodland; óculos solares: Police S8299 583B (De Rigo); óptica tecnológica: Radlett Opticians, de Radlett, e visão para a vida (cuidados visuais): Zeidan Eyecare Centre, de Tamworth.

 

Kirk Originals: a loja-conceito da grife de design óptico ganha prêmio em Londres

 

Roberto Cavalli

Versão casa

Durante o Salão Internacional do Móvel, realizado de 17 a 22 de abril em Milão, o estilista italiano Roberto Cavalli lançou sua linha de artigos para casa, a Roberto Cavalli Home. São peças que seguem o estilo sensual e glamouroso da grife, com inspirações nas estampas animais, nos adamascados e nas sobreposições de cores e texturas, marcas mais que registradas da casa de moda italiana. As peças foram criadas em parceria com produtores especialistas em suas áreas, de móveis a cerâmicas, de têxteis a de papéis de parede etc. A proposta é, em breve, estender a comercialização da linha para além da Europa e dos Estados Unidos, focando também no Oriente Médio e na Ásia.

Roberto Cavalli: casa dele, sua casa

 

Luxottica

Mais varejo

Chegou a vez de redes de óptica da Espanha e de Portugal engrossarem a lista de aquisições de varejo da corporação italiana. Em maio, foram 120 lojas da rede Sun Planet nos dois países da Península Ibérica – 90 na Espanha e 30 em Portugal, com vendas totais líquidas registradas em € 22 milhões no ano passado.

Com o tempo, as lojas passarão a se chamar Sunglass Hut e as transações, programadas para se encerrar no final do ano, estão estimadas em € 20 milhões. Em 2011, a Luxottica comprou do mesmo grupo, o Multiopticas International, as lojas Sun Planet da América Latina.

 

Essilor

Aquisições da temporada

O laboratório norte-americano Central Optical, de Youngstown, no estado de Ohio, integra a rede da Essilor Laboratories of America desde maio. O antigo proprietário Lloyd Yazbek mantém uma pequena parcela das ações, mas a maioria está nas mãos da corporação francesa. A receita anual do Central Optical é de cerca de US$ 11 milhões. Após as transações, Yazbek comprou uma cota minoritária de outro laboratório da cidade, o Optical One, cuja maioria das ações também pertence à Essilor. O empresário permanecerá como presidente do Central Optical e gerenciará o Optical One.

Outro laboratório que também entrou para a lista da Essilor nos Estados Unidos foi o Optic Blue, em Lubbock, no estado do Texas, com receita anual de US$ 3,5 milhões e foi comprado em sua maior parte.

No total, a Essilor completou 11 transações em caráter mundial no primeiro trimestre, cujas receitas, somadas, chegam a € 52 milhões. Oito dessas negociações ocorreram na América Latina, no Oriente Médio, na Ásia e na região do Mediterrâneo.

No México, foi a Crystal y Plástico, fábrica de Guadalajara com receita de cerca de € 9 milhões. Depois de adquirir cotas em dois laboratórios sediados em Dubai e Abu Dhabi, a corporação francesa anunciou o acordo para a aquisição da maioria das ações do laboratório Magrabi Optical, na Arábia Saudita, com receita de € 4,5 milhões. Por conta da crescente participação no Oriente Médio, a empresa também abriu uma subsidiária, a Essilor Arábia Saudita.

Na Turquia, além da parceria com a Ipek Optik no começo do ano, divulgou-se o acordo para compra de 51% do laboratório Opak, de Istambul, com receita de € 8 milhões. Já na Coreia do Sul, a Essilor detém agora 80% da distribuidora de lentes Incheon Optical, cuja receita anual gira em torno de € 3 milhões e, na Índia, a maior parte da Optics India, distribuidora de equipamentos para ópticas, laboratórios e hospitais, com receita de € 700 mil.

Também entram na conta a aquisição do Seeworld, na China, e o acordo para comprar o Sivo, na Tunísia. No Canadá, o laboratório sediado em Ontário, o Imperial Eyewear, que movimenta anualmente 1 milhão de dólares canadenses. Na Austrália, houve o aumento de 33% para 66% da participação no Wallace Everett Lens Technology, que gera € 3,2 milhões.

Levando adiante a sua estratégia de expansão em mercados de grande potencial de consumo, a Essilor começou suas operações no leste da África, com aquisições do Optic Kenya, laboratório na capital do Quênia, Nairóbi. Além disso, houve acertos para a consolidação de duas joint ventures (do inglês, algo como “empreendimento conjunto” e expressão do mundo dos negócios que denota a associação de empresas para a realização de um determinado empreendimento comercial): Nikon-Essilor e Essilor Coreia.

 

Smith Optics

Luto pelo fundador

Em 18 de abril, o setor óptico mundial perdeu o norte-americano Bob Smith, inventor das máscaras de esqui com lentes antiembaçantes. Fundador da Smith Optics, Robert Earl Smith, mais conhecido como Dr. Smith, morreu aos 78 anos.

Ortodontista de profissão, o californiano desenvolveu o primeiro sistema antiembaçante em 1965, quando selou termicamente as lentes da máscara ao permitir a ventilação por meio de espuma, usando ferramentas de dentista em sua própria cozinha. A Smith Optics foi comprada pela Safilo em 1996.

 

Luxottica

Sunglass Hut em nova versão

No final de maio, a Sunglass Hut, rede especializada em óculos solares que é parte da divisão de varejo da Luxottica, abriu sua maior loja nos Estados Unidos, mais precisamente em Miami Beach, no estado da Flórida.

Com 570 metros quadrados, o novo ponto-de-venda conta com um acervo de 2 mil pares de óculos, duas vezes e meia a quantidade média de uma loja da rede. Além do espaço físico e dos produtos, toda a equipe de vendas tem sempre um tablet à mão durante o atendimento equipado com um software que proporciona a prova virtual das peças, além do aplicativo “SocialSun”, a rede social que permite os clientes compartilharem as fotos dos óculos testados em tempo real.

 

Alain Afflelou

Novo dono

O fundo de investimentos inglês Lion Capital anunciou a intenção de adquirir a rede francesa de ópticas Alain Aflelou, que atualmente pertence ao fundo europeu Bridgepoint. O acordo, que também envolve os acionistas minoritários Apax Partners France e Altamir Aboise, é esperado para ser concluído até o fim de junho, após ser avaliado pela European Competition Authorities, agente regulador do mercado europeu.

Valores não foram divulgados, mas a agência de notícias Reuters estimou que a transação deve ficar em torno de € 300 milhões. Fundada na França em 1972, a Alain Afflelou movimentou € 800 milhões em vendas em seu mais recente ano fiscal e é a maior rede de franquias ópticas da Europa com cerca de 1,1 mil lojas em países como França, Espanha, Portugal, Bélgica, Luxemburgo, Suíça, Marrocos, Líbano e Costa do Marfim.

 

Allison

Missoni renovada

A corporação óptica anunciou a renovação da licença para criação, produção e comercialização dos óculos da casa de moda italiana Missoni, porém, sem informar a extensão do novo acordo. A relação entre as duas empresas começou em 2004 e, no ano passado, a Allison lançou as armações de receituário e os óculos solares da M Missoni, linha de difusão da grife célebre pelo tricô em tramas coloridas.

 

 

 

Bloomingdale’s

Provador virtual na vitrine

A loja de departamentos novaiorquina Bloomingdale’s exibiu em maio sua tecnologia de provador virtual nas vitrines da sua loja da Rua 59, em Manhattan. A novidade é que a realidade virtual projeta os óculos no rosto das pessoas quando param em frente à vitrine.

São seis pontos que projetam, cada um, quatro diferentes modelos solares femininos de grifes como Fendi, Gucci, Marc Jacobs, Miu Miu, Prada e Roberto Cavalli.

Após a prova virtual, os consumidores podem escolher seu look favorito e imprimi-lo no interior da loja no espaço chamado de “Sunglass Style Bar” (do inglês, algo como “bar estilo óculos solares”). As vitrines foram concebidas pelo diretor de merchandising da rede, John Klimkowski.

 

Bloomingdale’s: rosto de óculos na vitrine

 

Transitions

Boa de se trabalhar

Pelo terceiro ano consecutivo, a Transitions recebeu do Instituto Gallup, nos Estados Unidos, o prêmio Melhores lugares para se trabalhar (conhecido por lá como Gallup Great Workplace). O título é concedido anualmente a organizações que passam pela avaliação de seus funcionários e de experts em administração empresarial, recursos humanos e outras áreas. Somente 27 empresas recebem o título a cada edição.

 

Vision Council

Sair sem solares é perigoso

Para milhões de norte-americanos, sair sem óculos escuros representa um grande risco e uma exposição perigosa aos raios ultravioleta, mostrou um novo estudo feito com 10 mil pessoas pelo Vision Council, a maior entidade de óptica nos Estados Unidos.

A pesquisa também revelou que mais de 55% dos adultos nos país perdem ou quebram seus óculos solares todos os anos. Para estes e para os 27% que não usam nunca óculos escuros, a exposição aos raios ultravioleta pode custar mais do que um novo par de solares.

A pesquisa, chamada Finding your shades, protecting your vision (do inglês, algo como “Encontrando seus solares, protegendo sua visão”), mostra as tendências no comportamento dos consumidores quando o assunto é proteção ultravioleta e uso constante de óculos solares, além dos principais efeitos na saúde por conta da exposição cumulativa à radiação e as medidas necessárias para preveni-los. Cópias do relatório foram distribuídas na mídia local com o objetivo de estimular os alertas com notícias e reportagens que atinjam uma fatia maior da população.

A radiação ultravioleta segue sendo uma constante ameaça à saúde visual, ainda que poucas pessoas entendam os riscos e as consequências de sua exposição cumulativa. Segundo um relatório do Vision Council, 20% das pessoas não percebem que seus olhos estão em risco quando expostos ao sol e 11% não acreditam que a radiação possa causar qualquer dano à pele ou aos olhos. Além disso, apenas um em cada seis disse que usa óculos para se proteger.

A pesquisa também avaliou que os norte-americanos não estão protegendo sua visão e nem a visão de suas crianças com solares de qualidade. Enquanto 73% usam óculos para se proteger do sol, apenas 58% estimulam seus filhos a terem o mesmo comportamento preventivo. Quase 50% confessaram não usar óculos escuros, pois os esquecem, e o carro é o lugar em que os acessórios mais são perdidos.

Esse relatório é apenas uma das ações da campanha Bureau of missing sunglasses (do inglês, algo como “departamento de óculos esquecidos”), criada para incentivar a compra de óculos solares para proteção visual e que seguirá durante todo o ano nos Estados Unidos com ferramentas para celulares e internet, como checadores de radiação ultravioleta para o local em que o usuário estiver.

Tudo pode ser conferido em www.missingsunglasses.com. Há também materiais educativos como pôsteres, livros de atividades infantis, literatura para salas de espera de consultórios e lojas, um arsenal para auxiliar os profissionais a informarem seus clientes sobre a importância de proteger os olhos durante todo o ano.

 

Proteção visual: força-tarefa nos Estados Unidos

 

Enviar por email

Compartilhar

Últimas edições